A educação em números: uma visão geral

por | out 8, 2018 | Artigo, Comunidade Escolar

Você sabia que, no Brasil, a proporção de jovens não concluintes de ensino médio é de 36%, sendo 41% para os homens e 32% para as mulheres?

Inclusive, na maioria dos países membros e parceiros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), entre os jovens de 25 a 34 anos de idade, a proporção daqueles sem o ensino médio concluído é maior para os homens do que para as mulheres.

E sabia que em alguns países, como Brasil, os jovens com o ensino superior têm vantagem de 10 pontos percentuais ou mais na taxa de emprego, em comparação com jovens que possuem somente o ensino médio?

Aqui, a taxa de emprego é de 86% para os jovens com ensino superior e 68% para aqueles com ensino médio.

Esses são alguns dos dados apresentados pela publicação Education at a Glance 2018, da OCDE.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em inglês Organization for Economic Co-operation and Development (OECD), é uma organização internacional formada por 36 países. Fundada em 1961, funciona como um fórum no qual os governos dos países membros podem trabalhar juntos para compartilhar experiências e buscar soluções para problemas comuns. A missão da OCDE é promover políticas que melhorem o bem-estar econômico e social das pessoas em todo o mundo.

No âmbito da Educação, dentre outras iniciativas, é responsável pelo PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) e a Education at a Glance(algo como “visão geral da educação”). A publicação, que existe desde 2014, é o resultado de um estudo realizado anualmente pelo Programa de Indicadores dos Sistemas Educacionais — INES com o objetivo de apresentar a coleta de dados educacionais internacionais em temas como o impacto da aprendizagem, o investimento financeiro, o acesso à educação, o contexto de aprendizagem, a organização das escolas etc. Os indicadores incluem desde comparações do desempenho dos alunos em áreas-chave até o impacto da educação sobre os ganhos e sobre as chances de emprego dos adultos.

Education at a Glance 2018: Indicadores da OCDE traz um conjunto de indicadores possíveis de serem comparáveis, que reflete um consenso entre os profissionais sobre como medir o estado atual da educação internacionalmente.

Este ano a publicação apresenta dados sobre a educação em 35 países da OCDE, dois países parceiros que participam no programa de Indicadores da Educação da OCDE (INES) — Brasil e Rússia — e outros países parceiros aderentes ao G20 e à OCDE que não são membros do INES (Argentina, China, Colômbia, Costa Rica, Índia, Indonésia, Lituânia, 1 Arábia Saudita e África do Sul).

O que a publicação diz sobre o Brasil?

A fim de subsidiar os formuladores e gestores de políticas educacionais, o Inep/MEC elabora um material de divulgação em português, destacando os principais pontos da publicação Education at a Glance sobre o Brasil, comparando as estatísticas brasileiras com os resultados de outros países.

Aqui, destacamos alguns dos dados encontrados em 2018 para o País:

 

  1. O percentual da população no Brasil que frequenta a escola, por idade, é de 85% entre os jovens de 16 anos; 74% entre os de 17 anos; 49% entre os de 18 anos; 42% entre os de 19 anos; e 35% entre os de 20 anos. Esses percentuais são baixos em comparação com os outros países, os quais apresentam, em sua maioria, percentuais superiores a 90% para a população de 16 e 17 anos, por exemplo.
  2. O Brasil apresenta um dos percentuais mais baixos de matrículas do ensino médio vinculadas à formação profissional: menos de 10% das matrículas estão nessa modalidade de ensino, contra 44% em média entre os países da OCDE.
  3. A OCDE define estudantes acima da idade recomendada como aqueles que estão pelo menos dois anos acima da idade teórica para cursar determinada série. No Brasil, enquadram-se no grupo acima da idade recomendada estudantes com idades a partir de 12 e 16 anos, para o 5º e o 9º anos do ensino fundamental, respectivamente. Entre os países com dados disponíveis, o Brasil é o terceiro que apresenta mais alunos nessa condição, são aproximadamente 15% dos alunos no último ano tanto dos anos iniciais quanto dos anos finais do ensino fundamental. A média OCDE é de 2% e 4% para os anos iniciais e finais do ensino fundamental, respectivamente.
  4. Em média, espera-se que 87% das pessoas de países da OCDE concluirão o ensino médio ao longo da vida e 81% antes dos 25 anos. Na maioria dos países, essa taxa de conclusão antes dos 25 anos ultrapassa os 80%. No entanto, para países da América Latina, como Brasil, Costa Rica e México, essa taxa é inferior a 60%.Entre os países com dados disponíveis, o Brasil segue em destaque com a maior proporção de alunos por professor nos programas regulares de ensino médio (26 estudantes/ professor), com diferença de 13 estudantes por professor na média para os países membros e parceiros da OCDE.
Avatar